Faleceu o produtor da Cachaça Indaiazinha

DSCF7713.JPG
Waldete Romualdo da Silva [1934-2017].

É com pesar que o blog Cachaças de Salinas informa e lamenta profundamente o falecimento de Waldete Romualdo da Silva, aos 83 anos, criador e produtor da famosa Cachaça Indaiazinha. O falecimento ocorreu em Salinas no dia 08/02/2017. O sepultamento será realizado no cemitério do povoado do Indaiá, onde nasceu em 1934, zona rural do município de Novorizonte, região de Salinas. Deixou a viúva Doralice Morais da Silva e os filhos César, Eunice, Helton, Jáder, Jarbas e Marlene; netos e bisnetos.

O universo da cachaça brasileira perde um personagem importante. Waldete Romualdo em vida foi um grande empreendedor rural. Dedicou parte de sua vida em prol da cachaça e se transformou em um dos ícones da cachaça de Salinas e do Brasil. Como excelente produtor de cachaça que foi deixou como legado uma marca de cachaça icônica reconhecida no mercado como excelente destilado: a Indaiazinha.

Lançada no mercado em 1958, a cachaça Indaiazinha se firmou ao longo de décadas como marca tradicional de Salinas. Produzida originalmente na fazenda Sobrado, próximo ao povoado do Indaiá, continua sendo produzida em pequena escala de produção e envelhecida cerca de 6 anos. Uma verdadeira iguaria para os amantes de uma boa cachaça artesanal.

No início da produção em 1958, amigos de Valdete Romualdo o acharam louco pela decisão de produzir cachaça. Até então somente haviam poucas marcas de cachaça em Salinas, a Havana (1943) do produtor Anísio Santiago, a Piragibana (1955) do produtor Nei Corrêa, dentre outras. De olho no sucesso dessas duas marcas Waldete Romualdo foi insistente e o negócio deu certo. Tanto que na primeira safra toda a produção foi vendida.

É fato incontestável que Waldete Romualdo faça parte do rol de produtores pioneiros de Salinas ao lado de Anísio Santiago, Ney Correa, dentre outros. Foram determinantes na transformação do município na mais importante região produtora de cachaça artesanal de qualidade na atualidade em todo o território brasileiro. Hoje são mais de 50 marcas e produção anual de mais de 5 milhões de litros.

O agronegócio da cachaça de Salinas é uma realidade pelo pioneirismo de produtores como Anísio Santiago, Ney Corrêa e Waldete Romualdo que acreditaram que a cachaça poderia vingar no município. Eles estavam certos. A cachaça de Salinas é hoje uma uma incrível realidade. Basta visitar os stands do Festival Mundial da Cachaça para ver o público delirar com a qualidade e requinte das garrafas expostas. Degustadores de todo o Brasil apreciam e admiram a qualidade da cachaça de Salinas.

Waldete Romualdo foi exemplo de pioneirismo e perseverança. Acreditou na cachaça como um grande negócio. Hoje figura na história de Salinas como grande personagem. O blog Cachaças de Salinas agradece pelo grande legado que nos deixou.

dscf23771
Cachaça Indaiazinha, uma das mais tradicionais marcas de cachaça de Salinas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s